12 de junho de 2017

Resenha | Victoria e o Patife - Meg Cabot:

Título: Victoria e o Patife 
Autora: Meg Cabot
Páginas: 256
Nota: 3/5
Skoob: Link

*Livro cedido pela editora
Sinopse: Neste romance histórico juvenil escrito pela autora de “O diário da princesa”, acompanhamos a trajetória de Victoria. Criada pelos tios na Índia, ela é enviada a Londres aos 16 anos para conseguir um marido. Mas é na longa viagem até a Inglaterra que a jovem encontra o amor, na figura de Hugo Rothschild, o nono Conde de Malfrey. Tudo estaria ótimo se não fosse a insuportável interferência do capitão do navio, Jacob Carstairs. Por que ele não pode confiar na escolha de Victoria? Por que ele não a deixa em paz? Estaria Hugo escondendo algo?



Opinião:
Sempre é bom ler um livro mais leve e mais rápido e esse livro da Meg Cabot é bom para isso, principalmente quando se está em uma ressaca literária ou quer intercalar com leituras mais pesadas. Victoria e o Patife conta a história de uma garota de 16 anos que está indo para Londres depois de muitos anos vivendo na Índia com os seus dois tios solteiros, já que agora Victória já está na idade de ser apresentada á sociedade para buscar um marido, além disso ela precisa a se comportar um pouco melhor, ela é uma dama só que acaba fazendo algumas coisas que uma jovem da idade dela não faria.
Antes de chegar em Londres ela passa alguns meses dentro de um navio e acaba conhecendo o galanteador Hugo Rothschild que é um caça herdeiras e acaba iludindo a coitada da jovem e o jovem Jacob Carstairs que é capitão do navio e que ganhou a antipatia dela, já que ele sempre aparecia nos momentos inapropriados e adorava provocar ela.

 "Victoria estava prestes a declarar que o colarinho de Jacob Carstairs era tão baixo quanto seu conceito sobre ele, quando lhe ocorreu que não seria bom alimentar Rebecca. A jovem tinha planos para ela. Pois, assim que a vira de olho em Jacob Carstairs no cais, havia decidido que ele era o último homem na face da Terra com quem ela permitiria que a prima se envolvesse."
Victoria é uma jovem que foi criada por dois homens e de uma forma mais livre, por isso ela tinha mania de controlar a vida das pessoas, achando que era o melhor para elas, mas isso irritou um pouco porque ela era mandona, intrometida e se as coisas não saíssem como ela queria acabava ficando brava, ele achava que todo mundo precisava que a vida fosse concertada, mas não percebia que quem merecia isso era ela mesmo. Ela maltratava o coitado do Jacob mesmo ele querendo o melhor para ela e estava cega a respeito do Hugo, mas na verdade ela queria casar com ele não por amor e sim porque a vida do homem precisava ser organizada e acabou confundindo isso com amor.
Jacob é um homem rico, conquistou tudo com trabalho e apesar de não parecer é um cavalheiro, ele é amigo do tio de Victoria e por isso sempre aparece pela casa, desde que conheceu a garota no navio se preocupa com o bem estar dela e olha que o coitado só levava patada da garota, ele queria abrir os olhos de Victoria a respeito do Hugo. Gostei do personagem logo de cara, ele está sempre disposto ajudar quem precisa e não tinha medo do trabalho.
Hugo desde que apareceu fiquei com a impressão que tinha algo de errado com ele, e não me enganei, ele não presta e é um caça fortuna, já que é um Conde falido e que só ao escutar a palavra trabalhar já da chilique. Ele é desprezível e a mãe dele também, fiquei morrendo de raiva de uma coisa que eles fizerem mais lá pro final do livro.
Além desses tem Rebecca prima da Victoria que adora pegar os vestidos da garota emprestado, além foi manipulada facilmente pela prima na hora de escolher um pretendente.

Como eu disse antes a protagonista me irritou um pouco por conta de suas atitudes, mas é uma história gostosa de se ler. Eu curti, mas de todos os livros que li da autora foi o que menos me agradou.  A história tem um humor sutil e irônico, além de ser um romance de época juvenil.
Victoria é muito mimada e em vez de se adaptar a casa que ela vivia, acabou adaptando a casa a ela. Seus primos não podiam nem brincar dinheiro na casa e ela achava ruim por conta do barulho, acho que o comportamento dela se tornou meio mesquinho pelo fato de que antes era uma única mulher no meio de dois homens que não ligavam para o cuidado da casa, fazendo Victoria tomar as responsabilidades para si mesma.

Bom a capa está linda, fora que o livro tem um tamanho pequeno e com as letras grandes acaba se tornando uma leitura fácil. Estava louca para ler esse livro e acho que foi por isso que acabei me decepcionando um pouco, já que as expectativas estavam altas. 
Como eu sempre falo essa é apenas uma opinião, na dúvida leia o livro, quem sabe vocês gostam.

"Eu acho que seria mais excitante ser casada com alguém que não precise de você, mas apenas...que a queira"
"Afinal, por mais que Victoria tivesse aprendido quase tudo que sabia sobre histórias de amor com a dama de companhia, havia uma coisa ainda mais importante que aprendera com os tios: o espírito esportivo. Ou seja, aceitar as perdas com elegância e passar pelas dificuldades com coragem."


Comentários
9 Comentários

9 comentários:

  1. Olaa! Tudo bem?
    Da meg cabot, eu só li o diário da princesa mesmo, mas gostei tanto que tenho mesmo vontade de ler tudo dela!! Ficaria interessada por esse, mas fiquei triste de você flalar que a personagem principal é meio mesquinha e tal..
    beeijo

    https://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não conheço a história fiquei curiosa
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Oi Denise.
    Eu gosto da escrita da Meg Cabot, mas li poucos livros dela, ainda tem muitos nos desejados. Ainda não tinha ouvido falar deste, mas gostei da premissa. Se tiver oportunidade irei ler. Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Parece ser um livro bem gostosinho de ler :)

    http://www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Denise,
    Ah, adoro a escrita da Meg e foi ótimo ler sobre esse livro aqui, ainda não sabia muita coisa sobre ele! Adorei que se passa em Londres.

    tenha uma ótima semana =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  6. Oi, Denise. Tudo bem?
    Estava falando com uma amiga sobre esse livro na semana passada... Ela leu e não curtiu muito também.
    Tenho que admitir que mesmo assim tenho um grande interesse no livro. Não li nada da autora e vejo que elogiam bastante a série "A Mediadora".
    Quero ler nessas férias alguma obra dela!
    Gostei da sua resenha, uma pena a leitura não ter sido melhor.
    Beijos,
    Keth.
    Blog: www.parbataibooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. parece ser um otimo livro, queria saber se ela ficou com o caça dotes haha
    amei sua resenha
    beijos http://www.blogdaxavier.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Denise, sua linda, tudo bem?
    Você não foi a primeira a ter essa impressão, ontem li uma resenha com a mesma opinião que a sua. Acho que é uma leitura leve, só para descontrair mesmo, perfeita para aqueles momentos de ressaca. Gostei muito da sua sinceridade, a resenha ficou ótima!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Dê!
    Menina, está todo mundo tendo dificuldade com a Victoria que isso me desanimou um pouco. Mas que bom que, apesar disso tudo, a história foi boa.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Três Anos de A Colecionadora de Histórias

    ResponderExcluir