Música | Playlist da Semana #131:

Hey pessoal, to passando aqui para não deixar de postar a Playlist, estou cansada, ontem trabalhei até as 21:30 na festa da faculdade, só deu tempo de chegar do serviço e ir ajudar na festa, agora to aqui enrolando para me arrumar para ir em um chá de cozinha, e amanhã ainda vou trabalhar em um concurso, ou seja, não vou ter tempo de prepara muitos postes.

Quotes da Semana:

Hey pessoal! Ando sumida por aqui né? , trabalhar e estudar é tão cansativo que na sexta quando chego em vez de entrar na internet desmaio na cama, tão cansativo ir para faculdade e trabalhar e  ainda ter que estudar nos finais de semanas, porque os professores não satisfeito em dar 4 aulas por dia ainda passa trabalho toda semana. Ontem mesmo fiquei no serviço as as 20:00 fazendo uma prova de certificação profissional e ainda resolvi trabalhar em um concurso para tirar um extra no Domingo. O Comentário ficou parecendo um desabafo. A vida de vocês também anda corrida?


"Ele a marcara onde ninguém podia ver. Deixara uma marca indelével no seu coração e em sua alma. Uma marca que, independentemente de quanto ela se afastasse, quanto tempo ficasse longe ou quanto se escondesse, não havia atenuado nem perto do que ela imaginara." (Daisy está na cidade - Rachel Gibson)
"Há um ponto na vida em que ou você aceita que as coisas nunca vão melhorar ou assume a direção e realmente começa a pensar para onde está indo." (Um Verão na Itália -  Carrie Elks)
"Ele estava certo; ela sabia que estava. Era loucura quão pouco ela tinha a perder. Há um ponto na vida em que ou você aceita que as coisas nunca vão melhorar, ou assume a direção e realmente começa a pensar para onde está indo. Sentada ali naquele apartamento em Londres, Cesca percebeu que esse era o momento para ela. " (Um Verão na Itália -  Carrie Elks)
 "Acho que tive medo de ser eu mesma a maior parte da minha vida." (J. A. Redmerski, - Entre o Agora e o Nunca) 
"Você está livre para amar sem qualquer obrigação." (William P.  - A Cabana)
"A vida é como um piano. Teclas brancas representam a felicidade e as pretas as angústias. Com o passar do tempo você percebe que as teclas pretas também fazem música." ( A última música - Nicholas Sparks)

Resenha | O Poder dos Seis (Os Legados de Lorien #2) - Pittacus Lore:

Título: O Poder dos Seis
Autor: Pittacus Lore
Páginas: 320
Nota: 4/5
Skoob: Link

Sinopse: O planeta Lorien foi devastado pelos mogadorianos, e seus habitantes, dizimados. Exceto nove crianças e seus guardiões, que se exilaram na Terra. Eles são como os super-heróis que idolatramos nos filmes e nos quadrinhos – porém, são reais. O Número Um foi morto na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Tentaram pegar o Número Quatro, John Smith, em Ohio, e falharam. Em O poder dos seis, John e a Número Seis se recuperam da grande batalha contra os mogadorianos, de quem ainda fogem para salvar a própria vida. Enquanto isso, a Número Sete está escondida em um convento na Espanha, acompanhando pela Internet notícias sobre John. Ela se pergunta onde estão Cinco e Seis, imaginando se um deles é a garota de cabelo preto e olhos cinzentos de seus sonhos, cujos poderes vão além de tudo o que ela já imaginou, aquela que tem a força necessária para reunir os seis sobreviventes.
Opinião:
O Poder dos Seis é o segundo livro da série Os Legados de Lorien, nele Seis, Jonh e Sam estão fugindo e sendo procurados como criminosos internacionais, além dos mogadorianos estarem seguindo eles . Nesse livro a história é dividida em duas partes e o foco não fica apenas no Jonhn como aconteceu no primeiro, dessa vez também conhecemos Marina a número sete e uma outra garota, ambas moram na Espanha em um orfanato, inclusive a Cêpan de Marina está junto com ela, vivendo como freira.
Elas vivem uma vida mais tranquila na Espanha, mas querendo ou não Marina sente que alguma coisa está para acontecer, pois ela começa a estocar comida e treinar sozinha. Ela também parece estar meio obcecada com o John,  já que é o único de Lorien que ela tem conhecimento. Já do outro lado temos John fugindo com seus amigos, tentando não serem reconhecidos pelas pessoas, ainda surgiu um possível triangulo amoroso, já que ele também sente atração pela Seis, mas também acaba enfrentando uma grande traição e ainda precisava pensar em uma forma de invadir a caverna dos mogadorianos.
Faz dias que li esse livro, então fiquei meio desanimada para escrever, nesse os 7 estão começando a se encontrarem, aos poucos estão ficando mais fortes e a melhor solução é estarem unidos, mesmo que acabe com o feitiço que os mantém salvos, pois os mogadorianos não vão desistir de acabar com eles e com a terra.
O livro é bom, mas fiquei com a mesma impressão do primeiro de ser mais introdutório, já que em eu sou o número quatro conhecemos um dos personagens que vieram de Lorien e que explica mais um pouco dessa especie, já nesse segundo mais personagens começam a se conectar a realmente investigar sobre os vilões , na qual descobrimos um pouco mais dos mogadorianos. Faz tempo que tinha lido esse e não lembrava muito bem da história dele, o terceiro vai ser o último livro da serie que irei reler, pois a partir do quarto livro a leitura vai ser inédita.

"Seis pensa nisso por um momento. Morde o lábio e olha pelo retrovisor.
- Tenho certeza de que a Número Sete é uma menina; eu me lembro dela durante a viagem na nave. No mesmo instante em que ela conclui a frase, ouvimos uma sirene soar atrás de nós."
Livros:
Eu sou o número quatro



Resenha | Daisy Está Na Cidade (Lovett, Texas #1) - Rachel Gibson:

Título: Daisy Está Na Cidade
Autora: Rachel Gibson
Páginas: 320
Nota: 3/5
Skoob: Link

Sinopse: Daisy Lee Monroe está de volta a Lovett, Texas, e depois de muitos anos descobriu que pouca coisa mudou. Sua irmã continua uma louca e sua mãe ainda tem flamingos de plástico rosa no quintal. E Jackson Lamott Parrish, o bad boy que ela havia deixado para trás, ainda é tão sexy quanto antes. Ela gostaria de poder evitar este homem em particular, mas ela não pode. Daisy tem algo a dizer para Jackson, e ela não vai a lugar nenhum até que ele escute. Jackson aprendeu a lição sobre Daisy da maneira mais difícil, e agora a única palavra que ele está interessado em ouvir dos lábios vermelhos de Daisy é um adeus. Mas ela está surgindo em toda parte, e ele não acredita em coincidência. Parece que a única maneira de mantê-la quieta é com a boca, mas beijar Daisy já foi sua ruína no passado. Ele é forte o suficiente para resistir a ela agora? Forte o suficiente para vê-la sair da sua vida novamente? Ele é forte o suficiente para fazê-la ficar?

Opinião:
Em Daisy está na cidade conhecemos mais uma história que se passa em Lovett, dessa vez quem está de volta é Daisy Lee, uma ex-moradora da cidade que volta depois de tornar-se viuvá para visitar sua família e revelar um grande segredo para Jackson seu namorado da adolescência, mas nem tudo saiu como o planejado, pois inicialmente ela queria contar e voltar para a cidade que morava  , só que o Jack se recusava a escutar a Daisy, pois querendo ou não ela machucou ele bem em uma época complicada para ele que na época possui 18 anos. Ela casou-se com o melhor amigo de Jack indo embora sem olhar para trás, mas agora que está viúva ela voltou e precisa muito conversar com ele.
Não sei muito bem como vou prosseguir daqui, sem dar Spoiler, mas vou tentar. Na época que a situação que tudo ocorreu, Jack tinha acabado de perder os pais e precisava cuidar de seu irmão, confuso ele terminou com Daisy, mas ela em vez de ser sincera com ele contou o que aconteceu para o seu amigo e o apresentou uma solução omo o casamento, como ela estava assustada acabou aceitando, mas confesso que fiquei com um pouco de raiva de seu marido, pois ele era amigo de Daisy e de Jack e em vez de aconselhar ela a contar a verdade, ele meio que se aproveitou da situação já que também era apaixonado por ela, com isso eles esconderam o segredo de Jack por quinze anos,  mas chegou a hora de contar e ela não sabia como faria isso.

Bom conforme o tempo passava em Lovett e ela ficava próxima do Jack, os sentimentos iriam retornando, ela até tentou fugir não achava certo, só que resistir ficou difícil, tinha momentos que se entregavam a tentação e em outros estavam discutindo, ainda mais depois dele descobrir o que ela escondeu, algo grave e que ele merecia saber. 
Eu gosto da escrita da autora, sempre são livros gostosos de se ler, inclusive esse foi o sexto livro lido dela, mas diferente dos outros esse foi o que menos gostei, pois tinha momentos que eu até compreendia as escolhas da protagonista, ela ainda era muito nova, mas em outras achei que era egoismo dela e de seu marido fura olha que aproveitou uma oportunidade. O Jack não era nenhuma flor que se cheire e tinha atitudes que eu reprovava, mas a personagem que mais errou foi a Daisy, ela não foi sincera e ele estava meio perdido na época que terminou com ela, tinha acaba de enterrar os pais como falei anteriormente e no mesmo dia levou uma facada dupla no coração ao perder a mulher que amava e a traição do melhor amigo. A protagonista nessa história como perceberam não me agradou muito.
Daisy Está Na Cidade é o primeiro livro da Série Lovett, Texas, mas que pode ser lido fora de ordem já que as histórias são independentes, inclusive o primeiro da autora que li foi a história da irmã maluca da Daisy. Sei que essa resenha não ficou uma maravilha, mas é difícil escrever uma resenha evitando dar algum spoiler.

"Ele a marcara onde ninguém podia ver. Deixara uma marca indelével no seu coração e em sua alma. Uma marca que, independentemente de quanto ela se afastasse, quanto tempo ficasse longe ou quanto se escondesse, não havia atenuado nem perto do que ela imaginara."
“Na noite em que perdeu tudo, Jack aprendeu uma lição valiosa. Aprendeu que ninguém pode tirar de você algo que você não tenha dado para esta pessoa. Ninguém poderia fatiar você por dentro se você não lhe entregar uma faca”.
“O relacionamento deles tinha sido louco, emocionante e intenso. Uma viagem na montanha-russa do amor, do ciúme e do sexo. E havia terminado muito mal.”
PS: Se tiver erros, não tive tempo de reler a resenha, estou no meio da  aula, aproveitando que a professora  não tá na sala.



Denise Crivelli, 27 anos, sul-mato-grossense, formada em Publicidade e estudante de Administração, viciada em livros, doramas e séries.

Facebook

Desapegando

Facebook

Busca

Arquivos

Seguidores

Populares

Tecnologia do Blogger.