15 de abril de 2016

[Resenha] Willow:

Título: Willow
Autora: Julia Hoban
Páginas: 352
Skoob: Link

Sinopse: Sete meses atrás, em uma noite chuvosa de março, os pais de Willow acabaram bebendo muito durante o jantar e pediram a ela que guiasse o carro até em casa. Por uma fatalidade, Willow perdeu o controle do veículo e seus pais morreram no acidente. Consumida pela culpa, Willow deixa para trás sua casa, amigos e escola e, enquanto tenta retomar a relação de afeto e companheirismo com o irmão mais velho, secretamente bloqueia a dor da perda cortando a si mesma. Mas quando Willow encontra Guy, um rapaz tão sensível e complexo quanto ela, mudanças intensas começam a acontecer, virando seu mundo de cabeça para baixo.Contado de modo cativante e doce, Willow é um romance inesquecível sobre a luta de uma jovem para  lidar com a tragédia familiar e com o medo de se deixar viver uma linda história de amor e cumplicidade.
Opinião:
Estava curiosa para ler esse livro, pois lembro que na época do lançamentos falavam bastante dele, ai acabei conseguindo o livro através de uma troca do skoob, pelo tema eu pensei que ia ser algo mais chocante como Garotas de vidros.
Nesse livro conhecemos Willow ela perdeu seus Pais em um acidente de carro e ela que estava dirigindo e se culpa pelo acontecido, então ela vai morar com a família de seu irmão mais velho. Willow agora é uma garota que não se permite ser feliz, não tem amigos e os que tinha se afastou, não namora e acaba encontrado um alivio em uma lâmina que elimina seus sentimentos, ou seja, a garota se autoflagela em busca de calar seus sentimentos e nem chorar ela se permite.
Ela trabalha na biblioteca da faculdade que seu irmão trabalha e acaba conhecendo um garoto chamado Guy.

"Cada vez que ela se entrega, a chance de alguém descobrir, a chance de infecção, mesmo a possibilidade de perder muito sangue aumenta. Ela terá que começar a racionar suas sessões. Pensar na lâmina como outras garotas podem pensar em sorvetes."
Willow está fragilizada pela morte de seus Pais e ao se ferir sente um alivio dos sentimentos e também é uma forma de se punir pelo que aconteceu, ela não demonstra seus sentimentos e essa foi a forma que encontrou. Desda morte de seus pais, seu irmão nunca sentou e conversou com ela sobre o acontecimento, preferiu seguir a vida e sofrer escondido da sua forma  e a falta de conversa acabou sendo um erro, pois a garota estava cheia de sentimentos e sem alguém para conversar sobre o acontecido ela recorreu a outra opção para aliviar a dor. Uma personagem fragilizada e que mesmo assim ainda pensava em ajudar outras pessoas e não atrapalhar a vida de ninguém.


O Guy acabou descobrindo o segredo de Willow e mesmo sabendo que era errado ele não contou para ninguém, mas ele acabou sendo a pessoa que iria escutar ela, ele se aproximou e até apresentou amigos, conforme o relacionamento deles ia evoluindo Willow começou a mudar, não drasticamente só que ela deu o primeiro passo para se sentir livre, gostei muito desses dois personagens porque eles eram sinceros um com o outro, não sei como Guy aguentava ver as marcas e a permanecer calado, pois se fosse eu no lugar dele sairia correndo para contar, pelo menos tinha vezes que Guy era o alivio que ela precisava.
O irmão dela me estressou um pouquinho, tudo bem que ele queria o melhor para ela, mas as vezes suas ações parecia de um irmão que a queria longe, não só ela precisava se abrir, mas ele também, os dois tiveram uma perda e precisavam falar sobre isso para que possam conviver melhor, pois ele apesar de ter esposa e filha ainda era o irmão que ela tanto admirou.

Esse é um tema pesado para ser discutido, apesar de como eu disse no inicio ele não ser chocante como Garotas de vidro, teve várias partes que me senti mal ao ler o que acontecia com a garota, Bom apesar do tema eu li esse livro em dois dias a leitura fluiu super bem, uma coisa que não gostei muito nesse livro foi forma de narratva o que dificultou um pouco eu me conectar com os personagens em algumas páginas é como se fosse uma voz do além contando a história, apesar disso eu curti a leitura.
A Protagonista estava quebrada e a parte que ela falou como descobriu que se autoflagela aliviava a dor foi dolorosa, apesar da dificuldade que falei que tive para me conectar por conta da narração, nessa eu consegui e mexeu comigo, realmente como também em uma parte que aparece ela na biblioteca.

"Por que as pessoas só perguntam se você está bem quando é evidente que não está?"

"- Eu acabei de descobrir porque alguém quis criar o primeiro espelho. Willow pisca, surpresa. Isso não era o que ela está esperando ouvir.
- Por quê?
- Eu acho que algum amante queria que sua amada visse como ela se parecia aos olhos dele. Ele queria que ela fosse capaz de ver a si própria do mesmo modo que ele a via." 

Comentários
15 Comentários

15 comentários:

  1. Oi Denise, eu achei fraquíssimo este livro, mesmo no fim, não achei que a personagem teve um crescimento. Acho que criei expectativa demais =/

    Beijos Joi Cardoso
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, Denise.
    Acho que lembro dessa capa mas não lembrava sobre o que era o livro. Achei bem interessante e leria. Não sei o que eu faria em uma situação dessas se fosse com uma amigo. Acho que procuraria ajuda, porque na maioria dos casos só tende a piorar.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Não sabia que já tinha esse livro em português!
    Lembro de tê-lo visto em inglês e ficado curiosa, até adicionei na minha lista de leituras na época. Parece ser um assunto muito forte, mas pelo o que você disse foi tratado de uma maneira um pouco mais leve. Acho que vou gostar dele, só fiquei com receio do estilo da narrativa que você citou!

    Beijos
    http://aquelaborralheira.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Denise! Eu não conhecia o livro e fiquei bastante interessada. Esses temas sempre me atraem, talvez pela minha profissão. O tema é bem delicado, fiquei curiosa pra ver como é tratado no livro.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia, a história é boa se eu tiver oportunidade irei lê-lo.
    Beijos
    http://eaifascinou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. A resenha ficou muito boa, infelizmente eu não consegui ler este livro até o final pois a personagem principal me cansou um pouco, mas vou tentar terminar agora que clareei a mente vamos ver *-*
    http://www.donab.net/

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Acho a capa desse livro legal mas não sinto vontade de ler :/. Gostei da resenha!
    Abraço!
    http://leituraforadeserie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Gostei muito da resenha.
    Não li esse livro e nem Garotas de vidro mas gostei de conhecer.
    Achei a capa maravilhosa!
    Bj


    IG: @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Denise!
    Eu não conhecia esse livro, mas agora quero na minha estante. Livros com temas assim sempre me despertam interesse.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
  11. Olá, Denise.
    Gosto de livros que tratem desses temas mais fortes. É uma ótima maneira de a literatura ajudar na realidade de milhões de pessoas.
    Gostei bastante da premissa e certamente vou conferir a obra.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de abril. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir
  12. Oi Denise!
    Não conhecia o livro, mas já consigo imaginar a dor da protagonista, se culpando pela morte dos pais... Parece ser uma história interessante.

    Obs: Tem sorteio novo no blog :)
    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  13. Olá, achei muito interessante a história ainda não conhecia o livro, gostei bastante da resenha.

    www.mundofantasticodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, é bem chato quando fica difícil se conectar com os personagens. A resenha ficou ótima.

    http://mysecretworldbells.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia o livro, mas depois da sua resenha super me interessei por ler ele, acho interessante livros com esses tipos de temas.

    Beijos:*
    Escritas na Chuva

    ResponderExcluir