Música | Playlist da semana #105:

Hey pessoal, era para ter postado antes, mas fiquei fazendo uns negócios aqui e acabei enrolando.

Dorama | O que andei assistindo:

Hey pessoal, depois de um tempinho sem fazer um poste de dorama, resolvi fazer um com o que andei assistindo, eu fico com preguiça de escrever as reviws dos doramas, por isso que não apareceu mais por aqui, mas vou ver se volto a comentar deles.


The Bride of Habaek 


Título: The Bride of Habaek 
Episódios: 16
Ano: 2017
Sinopse:  Quando o narcisista Deus da água Ha Baek visita a Terra para encontrar uma pedra mágica e poderosa o suficiente para ajudá-lo a reivindicar o seu trono, ele busca a ajuda de seu servo e destinada noiva, psiquiatra Então, Ah, cuja família está destinada a servir o deus da água por gerações. O problema é que ela não acredita nos deuses e, inicialmente, confunde-o com um lunático total por delírios. As coisas são ainda mais difíceis para Ha Baek, quando o Wind God Bi Ryum, a Deusa da água Mu Ra e o CEO do hotel / Demi-God Hu Ye aparecem complicando as coisas e impedem que ele alcance seu objetivo.

Nessa história conhecemos Ha Baek que é um Deus da água e que vai para a terra procurar 3 pedras para que possa se tornar o Rei e para isso ele vai contar com a ajuda da   Então, Ah sua serva sem querer e psiquiatra, mas no inicio ela acha que tudo é coisa da cabeça dele , mas com o tempo passa acreditar.  E por conta dessa aproximação e de sua profissão ela é colocada em perigo várias vezes, com o tempo sentimentos vão surgindo e é legal ver o Ha Baek deixando de ser um pouco frio e mostrando preocupação, além de lutando pelo que deseja e pela proteção de sua amada, fora que o casal é super shippavel.

Quotes da Semana:

Nem tive tempo de preparar um poste melhor, mas selecionei alguns quotes.
“Havia uma barreira entre mim e o mundo. Parecia uma grande parede de vidro, espessa demais para ser atravessada.” (Carta de amor aos mortos - Ava Dellaira)
"Talvez os atrasos no decorrer do dia sejam apenas detalhes, mas, se não fosse por eles, teria sido por causa de alguma outra coisa." (Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista -  Jennifer E. Smith)
“...as palavras têm um poder maior do que qualquer dom. Elas são capazes de mudar o mundo, mudar uma pessoa... dependendo de como forem interpretadas, podem causar a paz. Ou uma tragédia. Uma vez que a palavra está escrita em um papel, ela é eterna.” ( Versos Sombrios -  Bianca Carvalho)
"Nos últimos anos, venho procurando o que é real (...)  Mas a realidade geralmente é feia. A beleza? É mais difícil de definir. É como um pôr do sol. É lindo, faz você sentir alguma coisa. E isso é real. Mas o sentimento dura tanto quanto o pôr do sol. É muito fugaz. Então é fácil acreditar que não é real" ( Infinito + um - Amy Harmon)
 "As maiores armas eram as do coração: ódio, dor, medo e amor. Esta, então, era a arma mais poderosa." (Filha da Profecia-  Juliet Marillier)
"Você está caminhando ao longo desse caminho, deslumbrada com como isso é perfeito, como você se sente ótima, e então só algumas curvas na estrada e você está perdida em um lugar tão ruim que nunca poderia ter imaginado." ( Minha Vida mora ao lado -  Huntley Fizpatrick)

Que tal uma Dica? #5:

Hey pessoal, mais um poste de dica até dei uma pausa na minha leitura para poder escrever esse poste, espero que gostem das indicações da vez. 

E-book/Livro - A indomável Sofia


Sinopse:  Sofia Stanton-Lacy é alegre, impulsiva e de uma franqueza desconcertante, características que não combinam com o que se espera de uma mulher em sua posição na sociedade londrina do início do século XIX. Educada durante as viagens de seu pai, órfã de mãe, ela chega à casa de sua tia em Berkeley Square para derrubar as convenções e surpreender a todos com seus modos independentes e sua língua afiada. E Sophy parece ter chegado no momento certo: seus primos estão com muitos problemas.  O tirânico Charles está noivo de uma jovem tão maçante quanto ele, já Cecilia está apaixonada por um poeta, e Hubert tem sérios problemas financeiros. A prima recém-chegada decide então ajudar a todos com sua determinação e impetuosidade, e acaba enfrentando agiotas, roubando os cavalos de seu primo e atirando de raspão em um honrado cavalheiro. Embora sejam sempre mirabolantes e arriscados, seus planos sempre dão certo e tudo parece estar sob seu controle. O que ela não espera, porém, é que seu primo Charles, que aparentemente não vê a hora de arrumar um marido para ela, de repente passa a enxergá-la com outros olhos...
Esse é um livro bem gostoso de se ler, é diferente dos romances de época de hoje em dia que possuem algumas cenas mais quentes, esse pode ser lido por menores de 18 anos, onde vimos uma protagonista que foi criada pelo pai, sendo livre e sem se preocupar com as coisas comuns de uma mulher na época, mas ela vai passar um tempo na casa de sua tia por conta da preocupação do Pai e se mete nos assuntos de todo mundo sem ser chamada. 

Resenha | O Navio dos Mortos (Magnus Chase e os Deuses de Asgard #3) - Rick Riordan:

Título: O Navio dos Mortos (Magnus Chase e os Deuses de Asgard #3)
Autor: Rick Riordan
Páginas: 368
Nota: 5/5
Skoob: Link

Sinopse: Nos dois primeiros livros da série, Magnus Chase, o herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain, ex-morador de rua e atual guerreiro imortal de Odin, precisou sair em algumas jornadas árduas e desafiar monstros, gigantes e deuses nórdicos para impedir que os nove mundos fossem destruídos no Ragnarök, o fim do mundo viking. Em O navio dos mortos, Loki está livre da sua prisão e preparando Naglfar, o navio dos mortos, para invadir Asgard e lutar ao lado de um exército de gigantes e zumbis na batalha final contra os deuses. Desta vez, Magnus, Sam, Alex, Blitzen, Hearthstone e seus amigos do Hotel Valhala vão precisar cruzar os oceanos de Midgard, Jötunheim e Niflheim em uma corrida desesperada para alcançar Naglfar antes de o navio zarpar no solstício de verão, enfrentando no caminho deuses do mar raivosos e hipsters, gigantes irritados e dragões malignos cuspidores de fogo. Para derrotar Loki, o grupo precisa recuperar o hidromel de Kvásir, uma bebida mágica que dá a quem bebe o dom da poesia, e vencer o deus em uma competição de insultos. Mas o maior desafio de Magnus será enfrentar as próprias inseguranças: será que ele vai conseguir derrotar o deus da trapaça em seu próprio jogo?

Opinião:
Hey pessoal, hoje trago para vocês a resenha do último livro da Trilogia Magnus Chance, uma história que além de envolvente quebra preconceitos.
Bom Magnus e seus amigos estão tentando adiar o fim do mundo e deter Loki e dessa vez ele parte com todos os seus amigos juntos,  tentando chegar em Loki antes do solstício de verão, mas para isso eles precisão viajar em um Navio Viking amarelo, ir atrás de uma pedra e seguir pistas para encontrar o hidromel de Kvásir que vai servir para ajudar Magnus em sua batalha.
O legal nesse livro é que cada personagem ganha o seu momento de Brilhar e ainda conhecemos um pouco do passado de outros membros como o T.J, Mestiço e a Mac, além das habilidades de cada um. Os oitos que embarcam nessa viagem são uma equipe que apesar das discussões se mantem unidos e isso os tornam mais fortes, ainda mais quando se metem com pessoas perigosas e por incrível que parece a conversa/palavras foram as verdadeiras armas na história tanto para conseguir passar por seus desafios e entidades perigosas como no confronto com Loki, ou seja, o livro mostrou de uma forma mais leve que palavras mal ditas podem acabar com a vida de uma pessoa.
Gosto de todos os personagens desse livro, mas  um dos meus preferidos é o Alex, um personagem incrível e eu super shippo Alex e Magnus junto, esse foi um bom livro também para quem shippa eles como eu. Gosto bastante da Sam e ela está sendo uma guerreira conciliando a aventura com a época que não pode nem comer e beber água durante o dia, ela se tornou mais forte.
Já ia esquecendo de comentar que temos uma pequena participação de percy e annabeth para matar as saudades, acho super legal ver os personagens desse mundo mitológico criado pelo Rick colidindo e serie interessante ele escrever um livro com a participação de vários desses personagens lutando junto.
Foi uma boa conclusão e não é aquele livro que termina com um felizes para sempre, pois o personagem sabe que ainda tem muito o que lutar e também podemos ter noção que tem alguma coisa errada no lado grego só por uma simples conversa de celular. Confesso que quando li o primeiro livro não achei grande coisa, mas gostei muito do segundo e do terceiro.

A resenha hoje não ficou enorme, mas creio que consegui passar o que era necessário desse livro, também não falei especificamente de personagens pois fiz isso nas outras duas resenhas, ela ficou simples, mas espero que gostem.
“Acho que uma das coisas difíceis de fazer é ver as pessoas como elas realmente são. Nossos pais. Nossos amigos. Nos mesmos."
“Palavras podem ser mais letais que lâminas” 
 “..nossas escolhas podiam alterar os detalhes. É assim que nos rebelamos contra nosso destino.”
"Não dá para sentir ódio para sempre. Não vai afetar nem um pouco a pessoa que você odeia, mas vai te envenenar, com certeza" 

Livros:

  1. A Espado de Verão
  2. O Martelo de Thor
  3. O Navio dos Mortos.



Denise Crivelli, 27 anos, sul-mato-grossense, formada em Publicidade e estudante de Administração, viciada em livros, doramas e séries.

Facebook

Desapegando

Facebook

Busca

Arquivos

Seguidores

Populares

Tecnologia do Blogger.