Quotes da Semana:

Hey pessoal, queria ter postado mais cedo, mas aproveitei que faltei na faculdade por conta da dor de cabeça e cólica  para descaçar de pois ler um livro. Bom os quotes de hoje são de livros Nacionais.
 “(...). É ruim quando você não vai para o mesmo lugar que eu, e sou obrigada a enfrentar o ônibus. Deslumbrada, vi seus lábios se esticarem e se curvarem num sorriso sobre os dentes perfeitos, os olhos brilhando feito caleidoscópios, fazendo meu pulso acelerar. - Então não vá pra longe de mim, Alicia.” (Procura-se um Marido - Carina Rissi)
 "A forma como nascemos ou onde nascemos não influencia nosso futuro. Somos capazes de escolher nossos caminhos. Como você mesma disse, não há luz e escuridão em uma mesma criatura." (A Profecia de Mídria  - Denise Flaibam) 
"Respiro cansado, consciente de que não sou capaz de reescrever a minha história. Tudo o que passei me transformou no que eu sou hoje e as vezes é preciso conhecer o inferno para conseguir reconhecer quando se chega ao paraíso." (Sob seus Lábios - Erica Azevedo)
"Às vezes uma pessoa especial pode estar bem na nossa frente e não conseguimos enxergar  pelo fato de ela estar escondida atrás de um disfarce, fingindo ser quem não é..." (Cinderela Pop - Paula Pimenta) 
"- Muitas vezes é mais difícil lidar com as consequências dos nossos atos, do que com eles em si. Seu medo é normal. Cicatrizes assustam." (Uma Canção para a Libélula Parte II - Juliana Daglio)
"[...] lidar com cegos estava longe de ser a coisa mais fácil. Não porque nós sejamos complicados, mas porque as pessoas que enxergam se assustam com o diferente e não sabem o que fazer. " ( De olhos fechados - Lavinía Rocha) 

Resenha | Uma Proposta e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #1) - Mary Balogh:

Título: Uma Proposta e Nada Mais
Autora: Mary Balogh
Páginas: 272
Nota: 4/5
Skoob: Link

Sinopse: Primeiro livro da série Clube dos Sobreviventes, Uma Proposta e Nada Mais é uma história intensa e cativante sobre segundas chances e sobre a perseverança do amor. Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela. Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa. Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre.

Opinião:
O Livro foi escrito pela a autora Mary Balogh e foi a minha primeira experiência com um livro da autora, mas tem livros dela que possuo curiosidade para ler.
Nessa história conhecemos Lady Muir, uma mulher viúva e que está visitando um conhecida que acabou de enviuvar, mas essa conhecida é uma chata e em uma discussão com a mulher, Lady Muir ou Gwen sai para espairecer em uma praia e acaba colocando-se em um problema e machucando-se, nisso conhece Hugo que está de visita na casa de um amigo da qual Gwen invadiu a propriedade e acaba ajudando ela, mas isso vai fazer que os dois precisem passar alguns dias próximos já que ela não aguenta andar e então Gwen acaba tornando-se hospede do amigo de Hugo.
Apesar de Gwen e Hugo nunca terem se encontrado antes a atração entre eles é forte, e no inicio não ficam naquele lenga lega e entregam-se a tentação. 
Depois os personagens ficam naquela situação de atração só que meio distante e quando Gwen começa a ajudar a irmã de Hugo com a sociedade os dois acabam se aproximando e Hugo vive dizendo que não está cortejando ela, além disso fica levantando as questões de serem de mundos diferentes, sendo que isso não importa nem um pouco para a Gwen. Ele é um homem muito rico por conta da herança do Pai que veio de classe média e ela sempre foi da alta sociedade.

Gwen é uma mulher já experiente por conta de ser sido casada, mas também prefere viver uma vida mais tranquila, nem cogitava casar-se novamente antes de Hugo. Ela é uma mulher forte, mas se culpa pela morte de seu marido. Além disso não dá a minima para os comentários das pessoas e sabe muito bem o que quer, e não sentia-se limitada por conta de seu pequeno problema. Gostei da personagem e da sua força, ainda mais depois dos relatos de como foi seu casamento.
Hugo pertence ao Clube dos Sobreviventes, que são homens que participaram da Guerra e que saíram com alguma marca, pode ser na parte física ou na alma como aconteceu com o nosso protagonista. Nesse clube eles encontraram apoio e forças para seguir em frente. O personagem é todo grandão, mas não é chegado em briga e é delicado que prefere salvar um pequeno inseto ao invés de matar, que adora ajudar os animais e que prefere viver uma vida mais pacata cuidando de suas plantas e animais, por esse motivo eu gostei dele. Ele não é aquele personagem que toda hora tenta afirmar o quão macho é, ele não precisa disso. Além disso é legal ver ele fingindo que não está cortejando a protagonista quando está totalmente na dela. Hugo tem dificuldade para se comunicar com pessoas desconhecidas e não é chegado a receber muita atenção. Eu consegui sentir a delicadeza do personagem.

Apesar de não tratar alguns assuntos de forma profunda, o livro ainda mostra umas questões que ainda não eram muito discutidas na época e a doença ainda não tinha bem um nome como a Depressão que é trazida atona por personagens que não participam em si da história , mas por meras lembranças, como falei não é algo aprofundado só comentado mesmo, só que achei interessante a autora mostrar esse assunto com personagens daquela época.

Um proposta e nada mais foi a primeira experiência que tive com a escrita da autora e gostei bastante, ela tem uma escrita bem envolvente e eu gostei dos personagens e por esse motivo já estou mega curiosa para ler o próximo livro.
Comprei o livro com um dinheiro que ganhei de aniversário, quando fui na livraria ela estava muito sem livros que me interessava, acho que era por conta do final do mês, acabei pegando esse  que tinha lido algumas resenhas positivas, agora só não sei quando irei comprar o próximo. 

"Todos nós precisamos ser amados… de uma forma plena e incondicional. Mesmo quando carregamos o fardo da culpa e acreditamos não merecer amor."
“- A senhora não é, de forma alguma, o tipo de mulher que busco para ser minhas esposa – disse ele. – E faço parte de um universo muito diferente do marido que espera encontrar. Mesmo assim, sinto um poderoso desejo de beijá-la.”
"As pessoas compreendem a linguagem do coração, mesmo que a cabeça nem sempre consiga."
*Texto sem revisão, sem tempo para revisar

Denise Crivelli, 27 anos, sul-mato-grossense, formada em Publicidade e estudante de Administração, viciada em livros, doramas e séries.

Facebook

Desapegando

Facebook

Busca

Arquivos

Seguidores

Populares

Tecnologia do Blogger.