MÚSICA | PLAYLIST DA SEMANA #95:

Hey pessoal, resolvi aparecer hoje para postar uma playlist e espero que gostem, estava fazendo a unha que hoje tenho uma aniversário para ir ai não vai dar para responder todos os comentários e nem criar uns postes que tenho ideias.

Quotes da Semana:

Hey pessoal, essa semana quase não apareci no blog, mas é a falta de tempo, ando cheia de coisas da faculdade e não vejo a hora de chegar as férias, bom to cogitando procurar uma colaboradora para  o blog para me ajudar nos postes, mas ainda estou amadurecendo essa ideia.
 "Ando pensando ultimamente que crescer é como passar por portas de vidro que só se abrem em uma direção; você consegue ver de onde veio, mas não pode voltar." (Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara -  Meg Medina)
"A única certeza sólida que eu tenho é que um “eu te amo” dói. Dói de maneira a colocar você deitada no chão, curvada em uma bola enquanto se acaba de chorar. Dói do jeito que corações partidos doem. E quanto mais tempo você ama, mais partido fica o seu coração no fim. Maior é a dor." (As Cicatrizes de Andy (Série Mercy Bay #2) - Layla Casanova) 
"Tenho a impressão de que muita coisas não está sendo dita. Acho que minha família toda é assim: evitamos falar das cosias sobre as quais não podemos falar e cobrimos cada superfície para nos proteger do momento inevitável em que tudo virá à tona."(Temporada de acidentes -  Moïra Fowley-Doyle)
 "Quem sabe? Se for mesmo pra ficarmos juntos, se o destino realmente existir, talvez algum dia desses ela apareça na minha porta." (Confesse -  Colleen Hoover)
 “Em toda vida ocorre um momento decisivo. Um instante tão extraordinário, tão claro e tão nítido que temos a sensação de havermos sido golpeados no peito, deixados sem fôlego, sabendo, sabendo, sem a menor sombra de dúvida, que nossa vida jamais será a mesma.” (O Conde Enfeitiçado (Os Bridgertons #6) - Julia Quinn) 

Resenha | Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara - Meg Medina :

Título: Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara
Autora: Meg Medina
Páginas: 272
Nota: 4,5/5
Skoob: Link

Sinopse: Uma garota surge de repente no caminho da adolescente Piddy Sanchez para avisá-la de que Yaqui Delgado vai acabar com ela. Piddy acabou de mudar de escola e nem faz ideia de quem seja Yaqui, muito menos do que pode ter feito de tão errado para apanhar. Mas Yaqui sabe quem ela é, e a odeia. Piddy Sanchez não tem descanso. Ser filha de uma imigrante cubana nos Estados Unidos e crescer sem pai já era bem difícil sem ter alguém a odiando. No ensino médio da nova escola, seu corpo atraente desperta tanto os olhares dos meninos quanto o da esquentada Yaqui, que começa atacando a novata com ameaças cruéis, mas demonstra ser capaz de muito mais que isso, tornando a vida de Piddy um verdadeiro inferno dominado pelo medo. Denunciar Yaqui não é uma opção. Fugir não adianta. O importante agora é sobreviver. O romance explora a questão do bullying nas escolas e fala de violência doméstica, assuntos que vêm sendo cada vez mais discutidos atualmente, por afetar muitas crianças e adolescentes.

Opinião:
Fazia um tempinho que queria ler esse livro e surgiu a oportunidade quando vi ele por cinco e pouco na saraiva e fui logo comprando. 
O livro fala de uma questão série bullying e apesar de ser um assunto muito comentado eu não vejo campanha mais diretas, semana passada na cidade que moro uma vida foi perdida por conta do bullying  só assim para as pessoas lembrarem como é um tema série e que mereça ser discutido.
Nessa história conhecemos Piddy, ela tinha uma vida boa, ela não era rica, mas estudava na escola que gostava, tinha amigos e tirava boas notas, uma garota que adorava dançar e era feliz, mas ela muda de casa e consequentemente de escola e a partir dai sua vida muda, pois ela começa a ser ameaçada por uma garota que ela não tem a minima ideia de quem seja e nem o motivo das ameaças. Quando os ataques começam Piddy começa a ficar preocupada o tempo todo, não tem para onde correr, suas notas caem e ela começa a faltar nas aulas. Todo o seu potencial estava se perdendo por causa do bullying que sofria.
"Às vezes os erros podem estragar tudo de forma irreversível, como o sr. Nocera sempre alerta: faça uma besteira no começo da solução de um problema e sua resposta inteira vai sair errada. O mundo também dá um “meio certo”, ou é só na matemática?, eu me pergunto."
Piddy é uma garota inteligente, que tinha uma melhor amiga, vivia no mesmo apartamento desde crianças, mas mudanças aconteceram  e sua amiga mudou de cidade/bairro e ela também, ela perdeu toda a alegria na escola por conta do bullying , o que a deixava nervosa e preocupada. Passou a brigar com sua mãe e não confiava em nenhum adulto para que a situação se resolve-se com medo de piorar tudo. Foi tenso ver a situação que a personagem estava vivendo, ninguém merecer viver assim e tudo chegou ao ápice do medo depois da grave agressão que sofreu. As únicas pessoas que ela teve coragem de cometar alguma coisa foi um garoto que morava no antigo prédio dela e para Lila, melhor amiga da sua mãe e uma pessoa mais compreensível.
A mãe dela era uma pessoa meio difícil de conversar e falar sobre o que estava passando era meio complicado, fora que depois de tudo que acontece acaba descobrindo umas coisas a respeito do pai que nunca conheceu.
Confesso que fiquei um pouco estressada com a escola nova dela, pois a Yaqui fez algumas coisas muito pesadas e mesmo assim seus castigos não eram leves e ela continuava fazendo o que queria. Bom a história é ótima e  até um pouco revoltante, mas não chegar a ser tão pesada igual a uns livros com o mesmo tema e eu queria ter feito uma resenha melhor, mas a dificuldade de escrever foi grande, não falei tudo que eu queria, mas indico a história.
Não podia esquecer de falar que segundo umas noticias parece que vai ter um filme baseado na história do livro.

"Ando pensando ultimamente que crescer é como passar por portas de vidro que só se abrem em uma direção; você consegue ver de onde veio, mas não pode voltar."
"Estou cruzando a fronteira rumo ao território em que sou um risco, oferecendo perigo a quem me conhece. Meu problema pode ser contagioso, e ninguém quer pegar essa doença social."
"O medo é meu novo melhor amigo. Ele está sempre por perto em um silêncio gelado."



Denise Crivelli, 27 anos, sul-mato-grossense, formada em Publicidade e estudante de Administração, viciada em livros, doramas e séries.

Facebook

Facebook

Busca

Arquivos

Seguidores

Populares

Tecnologia do Blogger.