Música | Playlist da semana #66:

Hey pessoal, tudo bom com vocês? espero que sim, pessoal essa semana as coisas não foram tão boas, fiquei desempregada de novo, só porque era um trabalho que realmente gostava, mas a empresa acabou perdendo clientes e teve que demitir duas pessoas, acho que tenho algum problema só fico trabalhando por três meses, espero conseguir um serviço que eu passe de três meses, não aguento mais sofrer com isso.Por outro lado como não estou trabalhando desde segunda eu já li dois livros e dois e-books e to firme em Gilmore Girls.


Doramas na Netflix:

Hey pessoal, vocês sabem que sou viciada em doramas e recentemente assinei Netflix e lá possui alguns doramas, eu separei alguns que já assisti e resenhei aqui no blog para indicar e que se encontram lá e ainda possuem poucos episódios.
Bom não vou fazer nenhum comentários deles, mas vou deixar o link das resenhas dos que tiverem.



Título: Descendants of the Sun
Episódios: 16
Gênero: Militar, Médico, Romance, Drama, Ação, 
País de Origem: Coreia do Sul
Legenda: Português
Resenha no blog: Link

Sinopse: Um soldado e uma médica acreditam ter encontrado o amor verdadeiro, até perceberem que a diferença entre seus trabalhos pode causar um grande dilema nesse relacionamento. As tropas de paz da ONU estão em país devastado pela guerra de Uruk . Capitão Yoo Shi Jin , chefe da equipe da unidade Comando de Guerra Especial , reúne-se com Kang Mo Yeon , um médico voluntário com os Médicos Sem Fronteiras . Como eles trabalham lado a lado em zonas a desastres e atingidos por doenças.





Título: D-Day
Episódios: 20
Ano: 2015
Duração: 1 hr. 5 min.
Gênero: Drama, Médico
País de Origem: Coreia do Sul
Legenda: Português
Resenha no blog: Link


Sinopse: O que vai acontecer depois de uma sequência de um devastador desastre natural? Quando acontece um desastre em Seul, uma equipe médica de emergência tenta ajudar os sobreviventes e tenta restaurar a ordem da cidade que foi paralisada. Lee Hae Sung é um cirurgião que lidera a equipe de assistência médica do desastre e coloca as necessidades dos cidadãos feridos sem se preocupar com o dinheiro. Contudo sua abordagem altruísta coloca em conflito com o cirurgião frio e calculista Han Woo Jin. Jung Ddol Mim que é uma residente de ortopedia que acaba ficando presa no caos quando vai pela primeira vez na cidade. Ahn Gil Dae é um jovem residente. Esses são alguns dos médicos que vão estar na linha de frente para ajudar a cidade diante dessa tragédia.

Resenha | Não Era Eu, Era Você - Renata Varela:

Título:  Não Era Eu, Era Você
Autora: Renata Varela
Páginas: 263
Skoob: Link

Sinopse: Francine se orgulha de várias coisas.
Ela sabe que é uma ótima corretora de imóveis e se orgulha de ser valorizada em sua profissão. Francine também sabe que o amor de sua família é grande e se orgulha da relação que mantém sempre balanceada com as irmãs, Franciele e Fernanda. Ela também se orgulha de ter o coração "de pedra", como costumam descrever, e não ter se apaixonado de verdade desde os quinze anos.  Agora, Francine acaba de completar vinte e cinco verões. Está no começo da vida, na flor da idade, e esse ano tem tudo para ser o melhor de sua vida. Ela está no topo de tudo, mas, se há um problema de estar no topo, é que o vento lá por cima é sempre muito forte; pode fazê-la despencar em um piscar de olhos.

Opinião:
Não era eu, Era você é a terceira história da autora que leio e infelizmente confesso que não curti muito esse, principalmente porque eu adorei os outros dois que li da autora.
Bom na história conhecemos Francine uma jovem de 25 anos bem sucedida na profissão de corretora e que adora uma festa e que não se apega a nenhum namorado, fica sempre com aquela sensação de algo está faltando em sua vida. Se envolve com alguns caras por poucos meses ou só para uma noite. Ela possui um senso de liberdade e enquanto ela é mais livre sua irmã é mais contida e não é só ela que passa por problemas de relação, sua melhor amiga e irmã também tem seus próprios problemas a respeito dos homens.
"Passo uma semana inteira forçando uma dieta, mas sempre tem algum dia que as coisas saem do controle. É a situação mais normal do mundo. Como alface, rúcula e tomate seco todos os dias, me forçando a acreditar que, assim, vou conseguir entrar naquela calça manequim 36, mas no final de semana – geralmente – só consigo enxergar os doces e gor-duras em vitrines de padarias."

A escrita da autora é bem envolvente e por ser uma história rápida só largamos quando termina,  a protagonista está na crise dos 25 anos, que se valoriza em vários sentidos, mas que na parte de romance não sabe o que tem de errado.
Francine é jovem, livre e faz o que quer da vida sem se preocupar com o que pensam dela, ou seja, uma mulher independente.
A história é legal, mas infelizmente não consegui me conectar com a protagonista, ela me irritou em algumas cituações, nunca aceita o que era melhor e até na hora de dar conselho para uma adolescente ela foi irresponsável, vou ser sincera a protagonista não me convenceu e eu vi mais carisma na irmã do meio dela, do que na Francine, pelo menos depois apareceu o Arthur e ele tornou ela suportável.
Apesar de eu não ter curtido a protagonista o livro mostra a personagem amadurecendo e tentando conhecer seus sentimentos, sim tem romance no livro, mas o Arthur não tem grande destaque é só mais pro final, porque o foco é a protagonista e todo o sentimento que envolve ela, tentando descobrir o que é o amor na verdade, não o amor de irmã ou família, mas por outra pessoa, mas que para isso ela acabou fazendo escolhas erras e quando encontrou o que era certo ficou com medo de se render aqueles sentimentos que explodiam em seu coração.


Primeiras impressões | Lacrymosa - Juliana Daglio:

Título: Lacrymosa
Autora: Juliana Daglio

Sinopse:  O nome dela não é Valery Green. Também não nasceu no Kansas, e sua família toda não morreu num acidente de carro onde ela foi a única sobrevivente. Nascida num mundo de trevas e segredos apocalípticos, a garota feita de mentiras luta dia após dia para ter uma vida longe de sua verdadeira identidade e de seu dom misterioso, o qual ela julga como uma maldição. Por cinco anos, ela conseguiu. Escondida na pacata Darkville, tornou-se uma respeitada Detetive, conhecida por sua frieza e eficácia no trabalho. Seu companheiro Axel parece ter orgulho de trabalharem juntos, até ficar frente a frente ao que encontraram na busca daquela noite - um demônio dentro de uma garotinha.Para ajudar a pequena Anastacia, Valery terá que colocar em risco o trabalho na polícia e seu relacionamento com Axel, recorrendo à ajuda do Padre Henry Chastain, um velho conhecido. Desenterrando um passado cheio de exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios, esse reencontro não promete ser feito de abraços e boas-vindas. Chas, como ela o chama, é conhecido como o maior Exorcista vivo - a Espada de Sal do Vaticano, e é sua única esperança de lutar contra o novo inimigo, mas também representa o ponto fraco de si mesma e o acesso a um passado doloroso que pode despertar seus
próprios demônios interiores.

Opinião:
Lacrymosa é uma história escrita pela autora Juliana Daglio e hoje trago as primeiras impressões. 
Bom a história começa com  uma jovem de 16 anos fugindo de casa no ano de 2003, pois pode colocar toda a sua família em risco,  mas em nenhum momento temos o nome verdadeiro dela, mas conhecemos o nome falso e logo em seguida começa com o primeiro capitulo que se passa em 2015 e a personagem já está com 28 anos e é conhecida como Valery que trabalha como uma policial que já viu e viveu muitas coisas estranhas nessa vida. Ela é perseguida por um ser do Mal e nunca consegue se esconder e ela acaba reencontrando o Mal a trabalhar em um caso e consequentemente uma criancinha acaba se ferrando por isso.

"Amar demais é experimentar dor em seu estado bruto, tornar-se vulnerável a altas doses dela."
Percebi que a Valery é uma personagem solitária e que não se abre pra ninguém e que não leva uma vida fácil, para quem gosta de histórias que envolvem possessão esse parece ser um bom livro, confesso que não curto muito esse elemento em livros, mas fiquei curiosa com o que li e também para saber o que a personagem enfrentou depois que fugiu de casa [não sei se isso é revelado na história] . A personagem também parece ser determinada e forte não só no sentido físico, mas nas suas atitudes.  Uma personagem bem misteriosa. 
Foram só os primeiros capítulos que li, mas se tiver a chance pretendo continuar lendo essa história.



Conto | O Pecado de Eva (Coleção - Suas Escolhas, Seus Pecados) - Géssica Marques:

Título:  O Pecado de Eva
Autora; Géssica Marques
Páginas: 3
Skoob: Link

Sinopse: Não entendia como fora parar ali. Apenas se lembrava de uma voz chamando, dizendo o seu nome.
“Eva”  Era a voz de uma mulher, uma voz melodiosa e incrivelmente sedutora. Parecia estar vindo da árvore, sendo assim, não hesitou em ir até lá. Ao chegar mais perto reparou que a árvore, na verdade, era um pé de maçã.
Ela não ouvia um som sequer a não ser o dos seus próprios passos e do vento balançando os seus cabelos. Ao chegar à árvore ela ficou a encará-la. Havia várias maçãs, tão lindas, vermelhas e suculentas. Ao olhá-las lhe deu água na boca. Estava com vontade de comê-las. Mas sentia como se não devesse. “Por que você não come, Eva?”

Opinião:
Conto escrito pela autora parceira, a história desse conto pode se dizer que é conhecida por todos e envolve o fruto proibido, já da pra imaginar né.
A personagem da história não tem nenhuma memória e só sabe que se chama Eva por conta de uns sussurros.  Ela parece estar em um lugar sozinha e se depara com uma  Macieira e chega até pensar que é o único alimento que tem, mas fica com aquela sensação que não pode e por isso não come, mas ela acaba se deparando com uma mulher loira e misteriosa e que acaba influenciando Eva a comer uma maça o que acaba trazendo muitos problemas para ela, já que fez algo que podia e por conta disso surgiu os sete pecados.
Como eu disse esse conto é baseado em uma história que todos nós conhecemos, uma história para se ler em poucos minutos e apesar das poucas páginas da para perceber que a escrita da autora é envolvente.
O pecado de Eva é o primeiro de uma coleção da autora, na qual já tem o segundo e-book disponível que se chama O Egoísmo de Vanessa.
Um conto bom para se ler quando está em pé em alguma fila para se distrair lendo pelo celular.


 “Por que você não come, Eva? ” Perguntou novamente a voz. Um pouco assustada olhou ao redor procurando o ser que estava falando com ela.
"Aos poucos foi deixando de ser suculenta e se tornando podre. A fruta começou a brilhar como se tivesse uma luz dentro dela e assim se partiu em sete pedaços. E esses sete pedaços se transformaram em sete pecados. "


Resenha | As Coisas que Perdemos - Denise Flaibam:

Título: As Coisas que Perdemos
Autora: Denise Flaibam
Páginas: 328

Sinopse:  O mundo acabou como uma tempestade. Primeiro houve o caos, e então o silêncio. A Morte se espalhou pelas ruas de todo o mundo. Morte, porque ela tomou a humanidade para si. O silêncio do fim foi substituído por uma orquestra de sons grotescos, pelo arrastar lento e caótico de corpos moribundos; pelos sons do medo. O que antes regia a sociedade não existe mais. Tudo foi deixado para trás. Viva ou morra. Lute ou morra. Mate ou morra. Dylan ouviu falar sobre um lugar seguro. Lá, ela e Max podem ter uma nova chance. O garotinho de quem ainda está cuidando, mesmo quando tudo acabou, é o seu gatilho para seguir em frente. Se não existe esperança, para que lutar? As fronteiras artificias que marcam o fim do mundo trilham perigos e incertezas para aqueles que escolheram viver, e uma assustadora pergunta passará a comandar todos os movimentos dos que ainda resistem: até onde você irá para sobreviver?
Opinião:
Mais um livro da autora Denise Flaibam concluído, mais uma leitura Nacional que valeu a pena. Em As coisas que perdemos os personagens estão enfrentando um vírus que transforma pessoas em zumbis,  cidades foram transformadas em quarentenas separando as pessoas saudáveis das que estão em risco. A situação já não estava boa para as pessoas e para piorar as quarentenas deixam de existir, agora é cada um por sí ou andarem em grupos para tentarem sobreviver a essa terrível situação. 
E um dos vários personagens que conhecemos é Dylan uma jovem de 18 anos que tenta sobreviver junto com Max um garotinho que ela era babá e que estavam juntos quando tudo aconteceu e tentam sobreviver nesse mundo destruído, por sorte eles acabam encontrando um grupo e até pensam que está tudo tranquilo até o novo ambiente seguro desmoronar novamente.

"Max nunca, nunca, desde que ela o conhecia por gente, havia deixado outra pessoa que não ele usar aquela máscara. E ali estava o menino, estendendo-lhe seu símbolo de destemor para que Dylan o pegasse."

Denise Crivelli, 27 anos, sul-mato-grossense, formada em Publicidade e estudante de Administração, viciada em livros, doramas e séries.

Facebook

Desapegando

Facebook

Busca

Arquivos

Seguidores

Populares

Tecnologia do Blogger.