[Música] Playlist da semana #32 - Nacional:

Hey pessoal, estou com preguiça de pensar em uma playlist já que essa semana quase nem teve lançamentos, fiz da primeira que passou na minha mente que é de música Nacional, não esperem encontrar sertanejo aqui, porque não sou fã desse tipo de música. Espero que gostem.


[Top 5 ] Romances de época que quero ler:

Hey pessoal, como meu notebook estava para formatar não deu para fazer os postes da semana, e como hoje tenho prova de matemática 1 fiz esse poste rapidinho de madrugada para postar,  resolvi escolher 5 romances de época que quero muito ler. Espero que gostem e vocês já leram algum deles?


Sinopse: Talentosa e ambiciosa, a modista Marcelline Noirot é a mais velha das três irmãs proprietárias de um refinado ateliê londrino. E só mesmo seu requinte impecável pode salvar a dama mais malvestida da cidade: lady Clara Fairfax, futura noiva do duque de Clevedon. Tornar-se a modista de lady Clara significa prestígio instantâneo. Mas, para alcançar esse objetivo, Marcelline primeiro deve convencer o próprio Clevedon, um homem cuja fama de imoralidade é quase tão grande quanto sua fortuna. O duque se considera um especialista na arte da sedução, mas madame Noirot também tem suas cartas na manga e não hesitará em usá-las. Contudo, o que se inicia como um flerte por interesse pode se tornar uma paixão ardente. E Londres talvez seja pequena demais para conter essas chamas. Primeiro livro da série As Modistas, Sedução da seda é como um vestido minuciosamente desenhado por Loretta Chase: de cores suaves e românticas em alguns trechos, mas adornado com os detalhes perfeitos para seduzir.
Vi tantas resenhas positivas desse livro que fiquei mega curiosa, ainda mais pelo fato da protagonista já ter uma filha e trabalhar, diferente de alguns romances desse estilo que li, quer dizer dos poucos que li.

Sinopse: A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres. E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato. Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres. Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.
Esse é o que mais quero ler, já li três livros da autora e gostei muito da escrita dela e fora que parece ser uma boa leitura como os livros anteriores.

Quotes da semana - Um Amor, Um Café & Nova York 2 :

Hey pessoal, recentemente li o livro  Um Amor, Um Café & Nova York 2 (resenha) e ele tem alguns quotes bem interessantes que resolvi fazer essa postagem. O livro foi escrito pelo autor  Augusto Alvarenga.

"[...] Decidi que era hora de ser feliz por mim também."
"[...] Eu não quero pensar no amor se não for assim. Não quero pensar no amor como algo temporário, que quando acaba se corrói e destrói tudo o que teve de bom. Não quero ser corroído. Quero viver a esperança do bom."
"Eu sempre sonho com um pé atrás: querendo muito que algo aconteça e trabalhando para isso, mas com um medo de não dar certo e me decepcionar."
"É claro que meu coração pesava à vezes, doía, apertava, mas eu ainda assim sorria."
"Respirei fundo e tentei encontrar algo que fizesse sentido naqueles últimos vinte minutos, e não consegui. Acho que nada do que ele disse fazia sentido. Ele me queria ao lado dele, mas me mandou para Nova York e não quis me seguir. Mas agora ele estava aqui porque precisava me falar as verdades dele, de madrugada, poucos dias antes do meu show e agora - mais uma vez - ele iria embora e me deixaria mais perdida, confusa e magoada." 
"Minha cabeça ainda girava por tudo o que havia acabado de acontecer, e eu não sabia como faria para colocar tudo em ordem. Meu coração estava a mil, e pela primeira vez em um bom tempo eu me senti perdida." 
"Queria ter mais tempo para ter consertado tudo. Ou para mudar algumas falas do nosso roteiro mal escrito." 

[Resenha] Panlásia - Janaina Alves:

Título:  Panlásia
Autora: Janaina Alves
Páginas: 311
Ano: 2015
Skoob: Link

Sinopse: Um Reino onde nada é o que parece ser. Onde a paz foi conquistada à base de medo e muito sofrimento. Um lugar em que a harmonia não passa de fachada para esconder aqueles que realmente sofrem. Habitantes punidos por descenderem daqueles que foram considerados os vilões de uma guerra em que paz nunca foi o verdadeiro prêmio. Uma história em que o desentendimento de duas irmãs resulta na morte daquele que sustentava a ludibriosa paz, o grande Rei de todo um Reino. A filha mais velha é responsável pela morte do pai, com a intenção de se vingar da irmã, aquela que um dia lhe tirou o que lhe era mais precioso. Agora, ela precisa do poder da Coroa, o único capaz de trazer novamente à sua vida aquilo que mais ama. A filha mais nova, após ser acusada da morte do próprio pai, é banida do Reino, jogada sem remorsos na Cidade da Traição, lar daqueles que cometeram os maiores crimes contra a Coroa. Lugar conhecido por punir com a tortura eterna esses traidores. Quando as máscaras começam a cair, a verdade é finalmente revelada. Um ódio descomunal entre duas irmãs, nascido de uma relação repleta de amor. Um lugar de traições e torturas revela-se o único lugar onde uma princesa pode descobrir o que é o amor, o que é ser parte de uma família. Entre estranhos é que ela encontra dentro de si a força para fazer o que é certo, para tirar a Coroa daquela que um dia tanto amou, mas que a puniu além do que qualquer pessoa mereceria.

Opinião:
Um reino e duas princesas Sara é a mais nova e Lavínia a mais velha e por isso acreditam que ela será a filha que assumira o trono, mas o Rei tem outros planos e eles não envolvem Lavínia a filha revoltada e que odeia a irmã com todas as forças e ela é capaz de destruir a família sem nenhum arrependimento. O reino de Panlásia parecia ser perfeito, mas os poderosos escondiam muitos segredos, inclusive a respeito da cidade da Traição.
Lavínia a filha mais velha é a mais revoltada, não gosta da irmã e a culpa por algo que aconteceu no passado, a raiva só aumenta porque o rei dirige toda a sua atenção para Sara a filha mais nova e a que todos adoram. Ela quer ser a rainha porque precisa do poder para alcançar  o que deseja e busca no seu guarda e fiel escudeiro Diogo uma forma de conseguir o que quer, ela aproveita que ele é apaixonado por ela para conseguir o que quer. Essa foi uma personagem que me irritou muito, porque fiquei encabulado com o que ela foi capaz de fazer com a sua família, pra mim o que ela sentia era apenas obsessão, já que pelas suas atitudes ela parecia não ser capaz de ter sentimentos.  Ela se tornou até uma personagem irritante. 
“Era assustador esse pensamento, mas, depois de tudo, ela se sentia feliz por ter sido banida. A pessoa que ela era hoje, era muito mais forte do que a menininha assustada que havia sido enviada para a Cidade da Traição” 

Denise Crivelli, 27 anos, sul-mato-grossense, formada em Publicidade e estudante de Administração, viciada em livros, doramas e séries.

Facebook

Desapegando

Facebook

Busca

Arquivos

Seguidores

Populares

Tecnologia do Blogger.